Rss Feed
  1. domingo, 8 de abril de 2012

    Faz você parar de fazer um trabalho que tem que entregar amanhã às 8h e ainda não tá nem na metade. Porque você olha o texto e não enxerga as palavras. Lê uma página e não lembra de nada. Porque tá vendo tudo vermelho.
    Quando você tem raiva e engole, tranca e guarda, você treme. Aí fecha o olho, respira, conta até 10. Mas não consegue porque fica difícil até mesmo controlar a respiração. Raiva de quê? É difícil até dizer.

    Antes eu não tremia de raiva.
    Eu gritava, mordia alguma coisa (o travesseiro, normalmente) até os meus dentes doerem. Dava murro no colchão e enfiava a cara no já citado travesseiro e deixava ele me sufocar um pouco até onde eu aguentava, pra depois levantar a cabeça respirando forte, tentando recuperar o fôlego e esquecia por um momento que eu tinha feito aquilo pra esquecer a raiva.
    Eu falava exatamente o que tava me deixando com raiva. Dizia o que não tava gostando, e falava alto e falava mesmo e não media o que tava dizendo, pra poder expulsar tudo aquilo da minha cabeça e deixar claro que aquela merda toda podia não fazer o menor sentido, mas aquela merda toda tava me incomodando SIM.
    Isso fazia eu me acalmar.

    Agora mudou.
    Eu travo e engulo tudo. Fica tudo preso na garganta querendo sair aos gritos e eu não deixo. Isso me faz tremer por dentro e querer chorar. CHORAR. Eu tenho vontade de chorar porque to com raiva.
    Agora, quando eu tenho raiva, eu choro. Agora, eu peguei uma mania de ter vergonha de ter raiva. De me achar imbecil por não gostar de alguma coisa. De pensar: "mas caramba, eu sou chata mesmo, não acredito que to me incomodando com isso, eu devia deixar pra lá". E quando eu não consigo, eu falo e essa sensação aumenta e eu tenho um raiva descontrolada de mim por ter ficado com raiva!
    Agora você me pergunta: MAS QUE MERDA É ESSA?
    E eu respondo: Boa pergunta.

    Queria um pedaço de madeira e uma faca, enorme e afiada. E um lugar aberto e vazio. Pra eu gritar e destruir alguma coisa.
    Queria pelo menos enfiar a cara no meu travesseiro e prender o fôlego um minuto pra esquecer.
    Queria conseguir dizer porque diabos eu to com tanta raiva.
    Mas acho que é por isso que eu to com raiva.
    Porque eu devo ter desaprendido no meio do caminho a ser eu.
    |


  2. 2 comentários:

    1. Quero ser seu amigo pra sempre e nunca lhe causar uma raiva! Ontem te vi lá, sentada perto da janela. A raiva foi antes ou depois que te vi? À distância, não parecia estar querendo faca, madeira e espaço aberto e vazio. Ontens eu também tive umas raivas. Eu não choro. Essa deve ser a explicação das aftas...

    2. Tuíla disse...

      Foi depois, pra fechar o dia.
      E a gente tem que arrumar um jeito de descontar, né? Pra não pirar.
      Boa sorte com as aftas :)