Rss Feed
  1. domingo, 12 de fevereiro de 2012


    Calma, são remédios.
    Mas ainda assim.

    Minha irmã tá tomando um remédio pra alergia esses dias. Começou sexta. Nada demais.
    Mas acontece que lendo a bula, soubemos que o remédio dá sono. E deixa a pessoa meio... digamos... lesa. É. Lesa é a palavra.

    Eu gostaria de salientar que é da minha irmã que estamos falando. A pessoa que já me rendeu uns dois ou três posts só de coisas estúpidas, sem sentido ou fora de contexto que ela falou. Imagine a criatura que acha que teatro tem acento no "e" e confunde "bipolar" com "biocidental" (seja lá o que isso signifique) tomando um remédio que vai deixar ela meio grogue?

    Eu já tava preparada pra post novo dedicado à pessoa que faz da minha vida uma loucura.

    A monstrinha tomou o primeiro remédio na sexta feira. Acho que logo depois do almoço. Dormiu como uma pedra a tarde inteira. Quando a gente foi jantar, minha mãe acordou ela. Eu tinha colocado a pizza no meu prato e colocado no meu lugar da mesa (sentamos nos mesmos lugares na mesa desde sempre). Ela entrou na cozinha, pegou o MEU prato de pizza do meu lugar, levou pro canto dela e colocou o prato vazio no meu lugar.
    Eu assisti toda a cena sentindo uma mistura de confusão, revolta e incredulidade. Aonde aquela bolinha de ousadia achava que estava indo com a minha pizza? Poxa, eu tinha escolhido aquele pedaço porque tinha mais frangos que os outros, gente! Eu tinha um motivo, eu queria aquele. Ela sentou. Eu reagi:

    - Ô criança, tá indo aonde com a minha pizza?
    - Jantar...
    Eu mereço? Sério?
    - Esse prato é meu, Taiane.
    Taiane olha o prato. Me olha. Olha o prato. Corta um pedaço e come.

    Desisti da luta. Joguei a toalha. A menina claramente não dava a mínima pro meu protesto. Tava totalmente high. Não tinha nada que eu pudesse fazer pra ter minha pizza de volta. Só sofrer.

    Ela continuou comendo minha pizza sem o menor remorso, tranquilamente.
    Cortava um pedaço, furava com o garfo e colocava na boca. Repetia a operação. Até que num certo momento, a atividade pareceu muito complexa pra o cérebro já naturalmente prejudicado da minha irmã. Cortou um pedaço, sofreu pra furar com o garfo e levou até o nariz. Bateu o pedaço de pizza no nariz, na bochecha e em todo espaço ao redor da boca, até finalmente acertar a mira e conseguir comer o pedaço.

    Errar a mira da pizza já seria perturbador. Admita, se acontecesse com você, você certamente pensaria: "Ok, algo não anda bem, preciso me perguntar o que está acontecendo comigo...". Eu pensaria qualquer coisa nessa linha de raciocínio. Mas o que me surpreendeu foi que minha irmã não se abalou.
    Não.
    Nada.
    Nenhuma reação, nem um olhar pra ver se alguém percebeu, nenhuma expressão constrangida, curiosa, preocupada ou divertida. Nadica de nada.
    Ela continuou a comer a pizza (o MEU pedaço de pizza, caso alguém tenha esquecido) calmamente como se nada tivesse acontecido. Como se tudo bem errar a mira e tentar enfiar a pizza no nariz. Bacana, tudo bem, quem nunca?
    Depois desse jantar, eu sabia que as coisas só tinham a piorar.

    Hoje ela dormiu metade da tarde de novo e quando a gente foi sair, ela foi se encarando no espelho do elevador. Olhou o próprio reflexo com uma cara confusa. Virou a cabeça pra um lado e para o outro. Se encarou, séria. Levantou o queixo, ainda olhando pro espelho. Fez uma cara ainda mais séria, quase de raiva. Juro que parecia faltar muito pouco pra ela gritar: "Vai encarar?" e começar a bater no espelho, fazendo o elevador balançar e os cabos arrebentarem fazendo aquela caixa de metal cair e nos matar.
    Mas graças aos céus, chegamos no térreo antes que o pior o ocorresse.



    Isso tá ficando assustador, senhoras e senhores.
    Aconteceram outras coisas tão ou mais estranhas nos últimos dias. Algumas admito que não lembro, outras vou guardar, outras ela provavelmente me cortaria em pedacinhos se eu contasse. E você não contraria alguém que ameaça o próprio reflexo no espelho.

    Mas ainda tem tempo. Eu vou anotar as próximas. Não sei quanto tempo ela vai tomar essa coisinha milagrosa, mas aposto que ainda me rende um ou dois posts.

    Peçam a Deus por mim, eu não quero ser odiada como aquele pobre reflexo...
    :*

    UPDATE


    Muitas dorgas, manolo!
    |


  2. 1 comentários:

    1. AlexGoblin disse...

      E eu nem estou aí pra ver isso... Filma???