Rss Feed
  1. sexta-feira, 23 de setembro de 2011

    Já ouvi isso algumas vezes de algumas pessoas. Especialmente de amigos. E de pessoas que me conheciam há pouco tempo e me viam irritada, ou falando alguma viagem muito grande. Mas nunca alguém que nunca interagiu comigo disse isso.
    E foi divertido!

    Minha mãe dá aula a um menininho, de 5 anos, chamado Mateus.
    Dá aula pra ele toda tarde. É um pirralho muito fofinho, inteligente e que de vez em quando sai com umas pérolas. Minha mãe sempre vem com histórias dele. História de criança é sempre inusitada. Mas essa ganhou o prêmio.

    - Tu não sabe o que Mateus disse hoje...
    - O quê?
    - Ele perguntou sobre as minhas filhas, e eu falei de vocês duas, e ele disse que tem medo de você.
    Pausa dramática.
    Você compreende quando alguém faz uma propaganda negativa sua. É aceitável. É normal. É verdade, algumas vezes. Muitas vezes...
    Mas sua mãe?? Espera-se que as mães falem bem de seus filhos mesmo que eles sejam uns idiotas. Eu já vi um monte de mãe, coitada, cujos filhos são umas almas sebosas que mal mereciam viver. E a mãe acha aquele quadrúpede maravilhoso.
    Então eu pergunto: Que qualidade de propaganda minha mãe anda fazendo de mim?

    - Anh... O que você disse a ele...?
    - Nada! Mas ele disse que tem medo de você porque você é adulta e tem cabelo cacheado.
    - Quê?
    - É.
    - Ele disse?
    - Disse. "Tia, eu tenho medo da tua filha Tuíla, porque ela é adulta e tem o cabelo cacheado."
    Pausa dramática número dois.
    TEM UMA CRIANÇA COM MEDO DE MIM POR CAUSA DO MEU CABELO.

    Agora viva com isso.

    Tudo bem, a vida é assim.
    Seu cabelo te sacaneia, mesmo que as pessoas nunca tenham visto.

    Eu só quero dizer que eu não sei se me choco mais pelo menino ter cismado da boneca com meu cabelo que ele NUNCA VIU, ou por causa do menino ter dito que a filha da professora dele é ~adulta~.
    HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHA COF COF HAAHHAHAHA
    Ah, claro, pobre criança iludida da vida. Só você, no alto dos seus 5 anos, pra considerar um hobbit de um metro e meio, como ~adulta~.
    MEU AMIGO, EU ASSISTO DESENHO ANIMADO.
    Mas, que seja. Quem sou eu pra contrariar a criança?

    Criança tem medo de cada coisa (de mim, por exemplo).
    Quando eu era criança, eu assisti Titanic, não me lembro onde. Não lembro se foi aqui em casa. Ou na casa da minha tia. Não sei. Mas eu lembro de uma coisa: eu passei bastante tempo sem dormir direito porque achava que minha casa estava dentro de um navio e que ia afundar e entrar água e todos nós seríamos acordados no meio da noite ao som de violinos e iríamos morrer afogados e congelados.
    Sim, eu realmente acreditava nisso.

    Eu gostava de olhar as nuvens e dizer com o que elas pareciam. Mas um belo dia, eu tava na casa da minha avó, deitada na grama do jardim, fazendo isso, quando fiquei com a sensação de que tava flutuando e que ia sair voando céu acima, e passar das nuvens, passar do sol, passar do universo, passar de tudo e ficar flutuando pra sempre e ninguém nunca mais ia me achar. Entrei em casa correndo e não saí o resto do dia.
    Bem verdade que o medo passou e eu fiquei vários dias tentando ter a sensação de novo, porque, cara, eu queria voar!

    Eu tinha medo do Gasparzinho, mas tinha vergonha de dizer isso pras pessoas (com razão).
    Tinha/tenho medo de sapo/rã/perereca/etc e tal.
    Tinha medo de repetir pesadelo.
    Tinha medo de não conseguir dormir.
    Tinha medo de olhar pro teto do quarto quando não conseguia dormir, porque eu sempre ficava com a sensação de que o quarto ia ficando enorme, enorme, enorme, ou que ia cair alguma coisa de lá, tipo como aconteceu uma vez quando eu tive alucinação de febre (mas isso é outra história).

    Mas eu nunca, nunca, nunca tive medo do cabelo de ninguém.
    Acho uma injustiça que tenham medo do meu.


    -

    P.S.: Minha mãe disse que levou uma foto minha pro menino, e que ele disse que eu era bonita e que não tinha mais medo de mim e que eu deveria ir jogar videogame com ele (L) OUN
    |


  2. quarta-feira, 7 de setembro de 2011

    Eu pensei em começar a escrever um post sobre isso: ouço uma batida.
    Eles sabem. Não é possível que não saibam.

    Vou explicar como.
    Fique cansada, tenha uma dor de cabeça ou um dia ruim: Pode ter certeza de que quando chegar em casa, eles vão martelar.
    As pessoas que moram acima de mim certamente gostam de reformas, mudanças e de trocar as coisas de lugar. Mas quando eu digo que gostam, é porque gostam muito mesmo. Eu moro nesse prédio há mais de... ó céus, sei lá, 6 anos? Vamo fazer de conta que sim. 6 anos. Quem faz a conta pra mim?

    Deixa, bando de chato, eu faço.
    6 anos.
    6 x 12. Droga. Calma. 6 x 2 = 12... e 72? Espero que isso esteja certo...
    Eu não vou pegar a calculadora. EU CONSIGO! Calma. Respira.
    Me perdi. Onde eu tava? Ah, 72 meses. Certo. 72 x 4...
    Por que eu não calculei logo 6 x 365?
    AAH, que saco!
    Cadê meu celular?
    2190, e se tiver errado foi a calculadora.

    (Esse post vai ficar uma merda e eu to nem aí. Não apago!)
    Voltando.
    EM 2190 DIAS, ESSE POVO MARTELOU, FUROU, ARRASTOU MÓVEL, SAPATEOU DE SALTO ALTO E BATEU COISAS NO CHÃO EM TODOS ELES!
    Juro.

    Fica ainda pior.
    Eles escolhem bater/furar/derrubar a casa em dois horários: no meio da noite, ou quando você está com dor de cabeça. Sempre.
    Toda santa noite eles arrastam móveis. Agora me diga: Quem troca os móveis de casa de lugar todos os dias, aproximadamente à meia noite? QUEM? POR QUE?
    E mais: trocam os móveis de lugar usando salto alto. QUEM TROCA MÓVEIS DE LUGAR DE SALTO ALTO? Nem Rayza é tão diva, peloamordeDeus!

    Eu tenho uma teoria sobre essa coisa dos móveis, que precisa ser aperfeiçoada mas eu vou dividir com o mundo mesmo assim.
    Eu aposto que esse povo trafica pessoas. Sério. Eles devem manter montes de pessoas dentro de casa, trancadas nos armários, amarrada embaixo das camas, penduradas no teto, sei lá. Isso explica as marteladas. Tão pendurando as pessoas como se fossem quadros (ou tão pendurando quadros mesmo, mas isso não teria graça). E aposto que quando chega um novo carregamento de pessoas (que deve chegar em caixas, porque eu nunca vejo) eles precisam arrastar os móveis pra poder colocar as pessoas novas.
    Ou você pode pegar essa minha teoria e substituir "pessoas" por gatos. Ou por quadros. Ou por macacos. Não, macacos não seriam tão barulhentos. Macacos inteligentes, como os do filme do Planeta dos Macacos do cinema. MACACOS EXPERIMENTAIS!
    CARACA, tão fazendo experimentos com macacos no meu prédio!

    Nada disso explica o salto alto.
    Vai ver a moça é só muito diva mesmo e eu não consigo alcançar o nível de glamour dela.
    É, é isso.

    Pronto.
    Resolvido o mistério.
    Só denunciar e correr pra ninguém me prender nas paredes feito um quadro!


    Beijo, to fugindo.


    --
    P.S.: Isso tudo deve estar tão estúpido que eu nem vou ler antes de postar HAHAHA
    |