Rss Feed
  1. sexta-feira, 18 de março de 2011

    Você sabe que o seu dia vai dar errado quando você é assaltada às 7:30h da manhã.

    Veja bem:
    Visualize uma parada de ônibus. Com umas cinco pessoas. Eu estava levemente afastada, mas só porque a parada propriamente dita estava toda no sol. Eu fui só me esconder numa sombra.
    Antes que digam que eu sou estúpida, naquele calor,
    se eu tivesse ficado no sol teria tido queimaduras de terceiro grau e morrido antes do ônibus aparecer. Logo, ser assaltada foi lucro.

    Eu já tava ali há uma boa meia hora.
    Estava com raiva o suficiente pra xingar a mãe de quem me olhasse torto.
    Quando a criatura veio andando pelo meio das pessoas na parada, em nenhum minuto eu achei que ele fosse ameaça.
    Quando ele parou do meu lado, pensei que ia me pedir dinheiro.
    Eu tava pronta pra tirar o fone de ouvido e rosnar: Meu filho, eu realmente tenho cara de quem tem dinheiro? Sério que tenho??
    Mas só tive tempo de tirar o fone e ouvir o fim da frase:
    - ...o celular!
    - Anh? - respondi, muito inteligente.
    - Me dá o celular, rápido.

    Não sei vocês, mas nessas horas (e somente nelas) minha cabeça funciona muito rápido.
    Num segundo eu pensei:

    1. Ele é do meu tamanho. E mais magro. Mas eu apanharia dele tranquilamente.

    2. Não deve tá armado, ainda não vi nada, mas não vou arriscar.

    3. Nenhum dos miseráveis na parada de ônibus tá olhando pra cá.
    4. Não vou pedir o chip, ele ta com pressa, vai perder a paciência. E mesmo se não tiver armado, vai me dar um murro só pelo contratempo. Eu daria.

    5. PelamordeDeus, meu celular não vai render nem 15 reais pra ele, ele que leve...

    Entreguei o celular.
    Com sangue no olho.
    SETE E MEIA DA MANHÃ, issé hora de assaltar uma pessoa?
    Eu já tinha acordado de SEIS E MEIA, isso ainda não foi castigo o suficiente?
    Seja lá o que eu tenha feito nessa vida.

    E lá sei foi meu chip da tim. Ontem mesmo alguém me ligou por engano nele, e ficou puxando conversa. Foi tão engraçado, e eu fui até dormir feliz porque já tinha história pro blog (que eu escrevi depois). E o meu "amigo do engano" disse que ligaria outra vez, então eu já estava esperando uma série completa. Mas o pivete LEVOU MEU CHIP.

    Enfim, ele segurou meu braço, apontou pra um lado e falou:
    - Ele foi pra lá, viu?
    E saiu andando pro outro lado.
    Entendi facilmente o que ele quis dizer: "Cala a boca, vai pra lá e não olha pra trás".
    Foi o que eu fiz, frustrada.

    Mas em menos de 10 segundos, o moleque passa correndo por mim, e um homem atrás dele, gritando: PEGA ELE, PEGA!
    Não me pergunte de onde eles saíram. Aparentemente, o moço do PEGA ELE e mais dois estavam bem mais atrás de mim, o tempo todo, um deles vendendo cachorro quente pros outros, e quando entenderam a cena, vieram me ajudar.

    O moço do cachorro quente veio me dar uma BRONCA. Sério.
    - Minha filha, era pra você ter dado o telefone não, era pra ter chamado a gente...
    - Mas eu não sabia que você tavam ali, moço...
    - Mas era pra ter chamado!
    Percebi que ele não ia entender o conceito de alguém não perceber a presença dele. Deixei essa parte de lado e disse:
    - Era...

    Um outro moço, num buggy, parou na calçada e disse:
    - O pirralho te roubou? (acho absurdo considerarem um pirralho, só por que ele tinha uns 5cm a menos que eu)
    - Foi, levou o celular...
    - Vou pegar ele - e saiu cantando pneu.

    A essa altura o meu ônibus tinha aparecido e levado todo mundo que estava na parada dentro dele. Menos eu.
    Eu fiquei porque tinha esperança de que um dos meus heróis voltasse com meu chip da tim. Ainda esperei um pouco, levei mais bronca do moço do cachorro quente. Até que outro ônibus apareceu e eu deixei pra lá.

    Fui embora, frustrada, com saudade do meu chip.
    Façam favor de me dar afeto, que eu tou precisando.

    :*
    |


  2. 1 comentários:

    1. A pessoa é assaltada e é ela que leva a bronca, como se tivesse culpa pelo incidente? 'Tá c'a gota!Tuíla, lamento o ocorrido. Menos mal que aconteceu no meio da rua. Tivesse sido em determinados círculos místicos triunfalistas, ainda viriam dizer que tu estás sem cobertura angélica por transgressões ocultas e incofessas... o medieval, pasme, ainda move pensamentos.