Rss Feed
  1. sexta-feira, 26 de novembro de 2010

    Juro que pensei muito antes de escrever esse post.
    Foi uma situação tão constrangedora que eu não sei se deveria descrever em detalhes aqui. Sério.

    Mas, a vida não é só feita de situações engraçadinhas e bobinhas. Coisas toscas e gosmentas também.
    Enfim.

    Ontem eu estava numa escola, fazendo um trabalho.
    Eu não tinha nada a ver com aquela moça, é verdade. Eu nem tava falando com ela. A secretária tava me atendendo, com cara de poucos amigos, me dando as informações simples que eu precisava de uma forma tão confusa que eu me perdi um monte de vezes. Parecia o Plínio no debate. Sério, eu só precisava de um número. Algo tipo: Quantos dedos tem na sua mão? Aí a mulher me respondia algo como: Ah, se você olhar por esse ângulo só dá pra ver 4, porque o mindinho fica escondido, mas até hoje de manhã eu juro que vi 5.

    Ok, nada tão estúpido assim, mas bem perto.

    Daí que eu ouço a moça conversando com outra.
    Elas não conversavam num tom de voz normal. Até num tom de voz normal aquilo teria sido constrangedor. Ela falou alto. MUITO alto. Tive medo que as crianças inocentes brincando no recreio corressem pra verificar o que tava acontecendo. Ela disse mais ou menos assim:

    "MINHA FILHA, EU TENHO hemorróidas POR CAUSA DA prisão de ventre. VOCÊ ACHA QUE ERA PORQUÊ? EU FICO TRÊS SEMANAS sem ir no banheiro PORQUE SIMPLESMENTE NÃO SAI. EU COMPREI A P**** DO ACTIVIA, MINHA SOBRINHA TOMOU TAMBÉM E parecia que tava com diarréia E EU NADA..."

    Abaixei a cabeça. Tentei não rir. Fiz outra vez aquele som de balão vazando.
    Eu juro que transcrevi aqui de forma suave. Sério, não gosto de tá escrevendo coisa gosmenta no meu blog limpinho. Mas ninguém precisa de muito esforço pra deduzir o que a moça meiga e cheia de doçura falou na secretaria da escola, em alto e bom tom.

    Ninguém mais naquela sala pareceu achar a situação no mínimo estranha além de mim. O que só me leva a pensar que ou todas as pessoas ali compartilham da situação da moça, ou ela sempre fala daquele jeito, naquele tom, e eles já estão acostumados.
    Se a segunda opção for verdadeira, deve ser um lugar muito desagradável de se trabalhar. Quer dizer, imagina só a quantidade de informação sobre a vida pessoal e orgânica aquela mulher compartilha diariamente?
    Se for a primeira, Activia neles, uma hora vai dar jeito.


    Oi amigan, como vai o intestino?
    |


  2. 2 comentários:

    1. [Dan] disse...

      kkkkk adorei! fatoso do cotidiano... sempre nos deparamos com situações assim vez ou outra. xero...

      Dan

    2. Rayza Resende disse...

      Activia? Isso me lembra a mãe de BJ haiahiahiahiaha