Rss Feed
  1. quinta-feira, 27 de maio de 2010

    A ideia foi de Gabi e por algum motivo, eu dei ouvidos.
    Começou com uma brincadeira, algo tipo, vamos fazer um desafio. Como eu não acho que nasci com a capacidade de recusar esse tipo de coisa [mesmo que eu perca, como foi da vez que a gente apostou não tomar refrigerante e eu tomei e tive que comer quatro bolachas cream cracker em 1min], aceitei.

    Passar uma semana sem comer carne.
    Nem frango.
    Nem peixe.
    Nem qualquer outra coisa que vá nessa linha de raciocínio, tipo, que seja pedaço de animal morto e tal.

    Só queria dizer que quando cheguei ontem em casa, morta de fome, cansada e dolorida, o que tinha pra jantar?
    Calabresas fritas.
    Meus olhos se encheram de lágrimas. Sério.
    E agora, eis que me contorço em pânico, dor e desespero antes das refeições. Depois não. Depois que passa a fome é até melhor. Você se sente mais, sei lá, sossegada? Acho que sim, dá aquela sensação de, OK, agora sou uma pessoa mais saudável, eu comi verduras.

    Por verduras, entenda: MATO.
    Eu nunca fui fã master de verduras. Comia, claro. No hamburguer, por exemplo. Ali tinham verduras. Eu só tiro a cebola. Detesto cebola. Mas comia verdura sim.
    Acontece que agora meu almoço se resume a arroz, feijão e salada. Plantas em grande quantidade no meu prato. Plantas que eu nem sabia o nome, muito menos o gosto. Ontem mesmo, na UFPB, coloquei saladas de todas as qualidades e tasquei molhos diversos em cima. O resultado final foi até bom!

    O tenso de tudo isso é antes. Quando você tá morta de fome, e só consegue mentalizar frango, lasanha, strogonoff, e todas essas coisas. E vai se aproximando o meio dia e cada vez mais você se contorce em pânico, dor e desespero. E pensa, CARA, eu queria um churrasco. E pensa que nao pode. E isso é desagradável.
    Mas daí você, come algumas folhas, a fome passa e fica tudo bem.

    Simples.

    Bom, acabou que a gente ainda inventou outros desafios gastronômicos desesperadores tipo esses, e o único nome aceitável pra toda essa tortura foi: Dieta do Pânico.
    E é até divertido, quando a coisa é feita em conjunto e tem alguém pra rir do seu horror e pensar com você como substituir o que você costuma comer e achar lanches aprováveis e tal. Sozinha, é um saco.

    Se eu sobreviver, conto como foi.
    Mas é melhor toda essa porcaria dar algum resultado, senão eu te mato Gabi.

    :*
    |


  2. 2 comentários:

    1. karolayne disse...

      não tenho coragem de fazer isso, nunca! kk :*

    2. Tuíla disse...

      Carrego, viu? uahsua