Rss Feed
  1. terça-feira, 6 de abril de 2010

    Só eu tenho mania de pegar coisas bestas e cotidianas e tentar transformar em textos profundos e filosóficos?


    Ontem eu vi um post no Eita Tédio onde tinha o Wally [aquele que some e você tem que procurar no desenho] e a Carmen SanDiego. Daí eu lembrei da Carmen.
    Quando meu pai trouxe o computador pra minha casa eu devia ter uns 6 ou 7 anos. E nele tinha essa joguinho. O da Carmen. Eu adorava apesar de parecer meio complexo na maior parte do tempo. E eu não era esperta suficiente pra usar site de busca. E nem conhecia o Google.

    Bom, ontem eu percebi detalhe que eu não me lembrava: Eu nunca deixei de ser recruta nesse jogo.
    E percebi por quê: Pra evoluir de cargo você precisa responder uma pergunta, usando o banco de dados [ou o Google, como eu fiz ontem]. Como antes eu não tinha nem uma coisa nem outra, eu simplesmente deixava de lado, abria outro jogo e fazia tudo de novo.

    Eu tinha também um CD com não-sei-quantos-milhões de joguinhos de Mega Drive. Quem lembra? Da Sega. Sonic, BomberMan, Alex Kid e um monte de outros. E eu me divertia horrores. Mas na época eu não sabia que clicando f5 você salvava o jogo e no f8 continuava de onde parou. Cara, eu tinha 8 anos no máximo, me dá um desconto.

    Daí um dia desses eu lembrei desses joguinhos. Baixei um emulador e botei o CD dos joguinhos. Foi uma alegria sem igual. E aqueles jogos que pareciam extremamente difíceis pra mim, agora eram possíveis de serem vencidos! Eu era a rainha dos joguinhos. E mais agora que sabia que bastava dar f5 e eu não ia precisar recomeçar. Podia continuar de onde tinha parado e ter uma chance de zerar algum deles.

    O engraçado é que antigamente eu não me importava com isso. Não tava nem aí se precisaria recomeçar o jogo. Eu não me importava em zerar. Eu queria jogar. Mesmo que eu já soubesse aquela primeira fase decorada. Quem liga? Era divertido jogar de novo.

    Mas as coisas mudam. Quer dizer, naquele tempo, quando eu tinha meus 10, ou 11 anos. Eu dividia o pc com minha irmãzinha mais nova [que adorava desenhar no Paint] e a gente marcava 15min pra cada e aquilo era suficiente. Depois, passamos a marcar 20, 30, 40 e assim foi. Hoje em dia, é "1 hora". Teoricamente.

    As coisas tem que evoluir uma hora. A primeira fase começar a cansar e fica mais interessante descobrir as próximas.
    |


  2. 0 comentários: