Rss Feed
  1. sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

    Teoricamente, mas ainda assim!
    É só um recesso. Desde quando estudante tem direito de ser feliz?
    Meu último dia de aula foi tão inferno que eu achei que iria morrer. O lado positivo foi vir pra casa mais cedo. O negativo foi fazer isso morrendo de dor e xingando mentalmente quem me olhasse torto.

    Mas ontem foi divertido.
    Comentei até com Talita que a única coisa boa na nossa corrida maluca ontem foi eu ter algo pra contar aqui.

    E tudo só aconteceu porque:
    1º - Eu sempre acho que tudo vai dar tempo. Mesmo que isso signifique correr de um lugar pro outro loucamente em.. sei lá, 30 minutos?
    2º - Eu dou ouvidos as minhas amigas. [Não esquenta, Gabs, já te perdoei :*]

    Eram 18:30h de uma quinta-feira. Quando me disseram, mais cedo, que o filme terminaria essa hora, eu, imbecilmente disse:
    - Ah, relaxa, dá tempo.
    Claro. Sempre dá tempo.

    Sei que quando foi se aproximando a hora e eu comecei a notar que as coisas poderiam não funcionar como minha mente estúpida achou que funcionaria, eu comecei a me desesperar. E fiquei o fim do filme enchendo o saco das meninas repetindo: "Anda, termina logo, eu tenho que ir, eu tenho que ir."
    Quando finalmente aquela treco terminou, eu literalmente corri pra fora do cinema. Sério. Intercalando gritos de "ANDA DIANA" e voltando pra empurrar as meninas [sim, você leu certo. Eu empurrei minhas amigas até a saída], fomos andando. A parte mais linda foi que eu acho que perdi o pouco de noção que eu achava que tinha e continuei empurrando as meninas ladeira abaixo até a Lagoa. Cara, foi cansativo.

    Mas entendam, eu tava desesperada. PRECISAVA comprar aquela passagem.

    Enfim.
    Veio aquele ônibus.
    A essa altura a adrenalina corria solta nas nossas veias, e falávamos todas ao mesmo tempo. No meio dos gritos de "Esse ônibus passa lá ou não????" eu ouvi uma resposta afirmativa e não contei conversa. Entrei.

    Pausa pra explicar que a palavra Entrei não reflete nem de longe o grau de pânico daquele momento.
    Nem lembro que ônibus era aquele, porque poderia agora investigar porque tantos milhões de pessoas entraram ali ao mesmo tempo, e em desespero. Sei que enquanto minha irmã ia passando pelo meio da multidão com dificuldade, eu passei o braço por ela e me agarrei nas duas portas do ônibus.

    Quem já assistiu Titanic e lembra da cena em que a galera da 3ª classe tá entucada no fundo do navio tentando passar por uma grade que os tios lá trancaram pra evitar o tumulto no meio dos ricos lá em cima? Pronto. Eu era essa grade.
    Não sei porque raios fiz isso. Acho que tava com medo que minha irmã saísse desabando lá pelo meio, ou morresse esmagada ou fosse cutucada por mãos de tarados. Enfim, eu tinha que levar a criança inteira pra casa, ok?

    Sei que quando a gente finalmente entrou no ônibus e sentamos [pasmem.], o dito cujo foi pra a faixa da esquerda.
    Pra quem não entendeu, eu vou resumir: Ferrou.
    Baixei a cabeça, respirei fundo e fiz a pergunta que, se eu fosse no mínimo esperta, teria feito antes:
    - Gabi, esse ônibus vai mesmo pra rodoviária?
    Quando ela parou pra pensar, eu vi o quanto eu tava ferrada.
    De todos os 350 milhõeeeees de ônibus que passam por ali, e dos 70% deles que vão pra rodoviária, a gente pegou o que não ia.

    Foi um tumulto.
    Eu já tava tão morta que fiquei de pé, puxei a maldita cordinha e gritei:
    - BORACORREANDA QUE A GENTE VAI DESCER!!
    Foi um caos. E Talita foi o maior problema. Porque ela simplesmente não consegue andar sem rir na hora do sufoco. E sem rir ALTO. Muito alto. Mais alto que o meu grito. Mas eu não tava dando A MÍNIMA pra toda aquela galera do ônibus que me olhava com cara de: Que bosta é essa?

    Sei que descemos.
    Os ônibus CERTOS só passavam na outra rua.
    Eram 19h no centro de João Pessoa, 4 meninas e meia [minha irmã] correndo doidamente. Porque como se não bastasse, Gabi grita: Mermão, aqui é esquisito, anda mais rápido!
    A adrenalina me fez interpretar aquilo como "CORRE". Não me pergunte por quê. Eu corri. Corri tão toscamente que cortei a mão. Em mim mesma. No enfeite/botão/sei lá que raio é aquilo da minha calça. Foi.



    Sei que quando a gente chegou na calçada desejada, eu tava cansada, suada, sangrando, com dor de cabeça e com medo porque aquele era o lugar perfeito pra filmarem O Massacre da Serra Elétrica, versão PB. E eu seria a primeira. Porque tudo acontece comigo, lógico.

    Quando o ônibus CERTO finalmente passou, e a gente entrou, e sentou, foi que eu parei pra imaginar: "Já pensou se a gente chega lá, e os trocinhos de comprar as passagens cujos nomes eu esqueci agora estão fechados?"
    Mas olhei pras caras das meninas e não me atrevi a falar isso em voz alta.
    É o tipo de coisa que você aprende depois de levar um outro daqueles famosos tapas estilo: Quer morrer, animal? uma vez ou outra. Você guarda seus pensamentos mais profundos pra você. Mesmo que você saiba que a humanidade pode precisar deles uma hora ou outra. Enfim.

    Então, adivinha?
    Acontece o improvável.



    Tudo deu certo no final.
    Juro.
    Quer dizer, tão certo quanto poderia dar.
    Tive que comprar passagem inteira, chegamos na confraternização atrasadas, mas atrasaram lá também, minha mão passou a noite inteira sangrando, eu tentei fazer parar com os guardanapos azuis que eu troquei com Netão, de modo que minha mão ficou meio azul, e eu esqueci de tirar uma foto.
    Mas no geral, foi bom.
    |


  2. 3 comentários:

    1. Gabi disse...

      Eu quase chorei de tanto rir aqui...
      Mas ontem eu tava era com medo de morrer. Tava com medo de que O Massacre da Serra Elétrica versão PB fosse cmg, e Tuíla ía ser o carinha com a máscara branca q mata as pessoinhas [é Jason o nome dele? é nesse filme q o cara usa máscara? enfim...sei lá...]
      Eu juro q eu tentei ajudar...mas eu n tava conseguindo pensar direito...
      Mas no final tudo deu certo...eu meio q subornei Tuíla e limpei minha barra [:P]

      Foi mágico... [aventura!!!]

    2. Mathews disse...

      Morri de rir tbm viuuu!!!
      Se eu tivesse lá ngm pegava busao errado pq eu sou o cara dos onibus de jampa kkkkkk (minha vida td andei de onibus)

      Mas sério
      Ainda bem q eu num tava no meio dessa presepada
      se não ia ser um tumulto maior ainda!! Eu ia rir da situação rir de taliih e rir de Diana lógico q conhecendo minha prima
      ia ta rindo e ao msm tempo desesperada kkkkkkkk
      kkkk

      Amo mt esse povooo!!

    3. Tuíla disse...

      Gabi, o Jason é o da Sexta Feira 13! Mas foi quase. Não ia ser surpresa se ele aparecesse ali também auhsuahs